Parede torta: conheça 5 problemas e como resolver!

Você sabia que ultimamente muitas pessoas que decidem fazer uma obra em drywall têm sofrido com problemas de parede torta, justamente por um erro do montador na hora da marcação e construção? Muitas vezes tal problema só é percebido na hora em que toda a obra está finalizada. Imagine você – prestes a se mudar para a sua nova casa – e não conseguindo fechar uma porta direito ou até mesmo reparando que o piso e o forro não ficam com um bom recorte e os móveis não encaixam perfeitamente no local. Seria frustrante não é mesmo? Todo o dinheiro investido e os gastos com materiais dariam somente dor de cabeça na hora de uma possível reconstrução ou disfarce da parede torta. Neste artigo, nós te daremos 5 dicas de como EVITAR uma parede torta e não ter futuros problemas, por isso, continue lendo!

1. NÃO CONFIE SOMENTE NOS OLHOS

Parede torta: Medidas drywall Uma dica SUPER IMPORTANTE é: não dá para se construir NADA somente com medidas a olho. Para garantir que todas as paredes fiquem alinhadas e com os ângulos corretos, o montador ou pedreiro deve usar linhas, níveis, prumos e esquadros ou melhor ainda, se ele for profissional ele vai usar um nível a laser que faz tudo junto e muito mais preciso. Na hora da construção de uma parede de drywall a marcação da estrutura é a 1ª e mais importante etapa da sua obra, por isso, é importante calma e que seja verificada uma segunda vez antes de começar a colocar os perfis. São 3 itens a serem vistos em suas paredes: vertical (utilizando o prumo ou nível a laser), horizontal (checando se as cotas estão certas com uma trena – não use metro de bambu), e ângulo no encontro de duas paredes (olhando o esquadro ou no nível a laser também), que geralmente deve ter 90 graus. Isso evitará uma possível parede torta e gastos excessivos. Uma dica muito legal para verificar o prumo e se a parede está certa é você saber qual a tolerância admissível na Norma Brasileira do Drywall – ABNT:
O desvio de prumo na parte inferior não pode ser inferior a 1/600 da altura – ou seja se a parede tem 3 m de altura, o desvio não pode ser maior que 5mm.

2. MINHA PAREDE ESTÁ COM BARRIGA

Parede torta: Parede de drywall com barriga Você já colocou uma régua em uma parede depois de pronta e ela tem um calombo como se a parede ficasse para fora? Isso acontece quando o montador coloca os montantes no sentido errado ou coloca as placas também no sentido errado. O drywall tem uma sequência correta para tudo ficar bem feito e se o montador não souber ou não prestar atenção a parede vai ficar com defeito mesmo! Para consertar este tipo de defeito o prejuízo é enorme pois a parede tem que ser demolida e refeita, pois o montante de aço entortou por dentro e não tem magia que conserte! Na hora que um profissional for fazer sua obra peça a ele o certificado do curso que ele fez, assim você terá uma garantia maior de que ele vai saber fazer certo.
A Norma Brasileira – ABNT do drywall tem as tolerâncias definidas para este caso que é de uma folga de 5 mm em uma régua de 2 m, assim não ficam dúvidas do que é aceitável.

3. AS JUNTAS ESTÃO APARECENDO

Parede torta: Parede de drywall juntas Se você está olhando para uma parede e ela mostra onde foram feitas as emendas das placas, isso pode ser consertado! O tratamento de juntas é a última etapa da construção de uma parede drywall e deve ser feita com muito cuidado! Existem 2 fatores que você pode prestar atenção para que sua parede fique certinha:
  • Tempo de secagem entre as demãos: uma parede precisa de 24 horas de intervalo para passar a 3ª e última demão de massa. A sequência é: uma camada de base para fixar a fita de junta, uma segunda demão sobre essa fita e depois de 24 horas a última demão.
  • Deixar as juntas bem espaçadas: em cada camada deve ser usada uma espátula de 20 cm, depois de 25 cm e por último uma espátula de 30 cm.
A Norma Brasileira – ABNT do drywall tem as tolerâncias definidas para o tratamento de juntas que é a folga de 1 mm em uma régua de 20 cm, assim não ficam dúvidas do que é aceitável.

4. MINHAS JANELAS E PORTAS NÃO FECHAM!

Parede torta: Janelas e portas no drywall Se você sofre com portas e janelas que simplesmente não fecham ou precisam fazer força a mais para que encaixem no local correto, o problema pode não ser os materiais e sim uma parede torta! Além de atrapalharem a instalação e funcionamento das portas e janelas, uma parede torta também pode “dar zebra” na hora da pintura ou decoração. Na hora da montagem da estrutura verifique o prumo dos montantes do vão da porta, se eles estão reforçados,  bem como se as guias estão dobradas corretamente, fazendo com que o conjunto fique resistente.

5. O BARATO SEMPRE SAI CARO

Parede torta: qualidade dos materiais no drywall Quem é exigente com a qualidade da obra, mas não com a qualidade dos materiais, trai o próprio serviço, comprometendo um todo. Essa dica sempre está presente em publicações que envolvem obras ou reformas, pois não adianta possuir a melhor equipe ou o melhor troféu nas construções se os materiais são de péssima qualidade. Alguns dos erros mais cometidos na hora da escolha é a compra de perfil fora da norma – espessura do aço menor que 0,50 mm – a utilização de fitas teladas de baixa qualidade para tratamento de juntas e o uso de gesso em pó ao invés de massa para junta de drywall. A perda de materiais e gastos com mão de obra serão muito maiores quando sua compra não é bem feita, gerando uma economia que não vale a pena. Quer saber mais sobre o incrível mundo do drywall? Então acompanhe nossos artigos e aproveite para se inscrever na nossa newsletter para não perder nenhuma novidade!

Deixe uma resposta