5 Erros na Instalação de Forro de Gesso Acartonado

O forro de gesso acartonado é, sem dúvida, uma opção versátil e esteticamente agradável de revestimento de tetos, independente do tipo de ambiente. Não é à toa que, cada vez mais, vemos muitas pessoas fazendo valer o mundo de vantagens que este tipo de forro proporciona aos seus espaços, sejam eles residenciais, sejam eles comerciais. Alguns erros durante a instalação, no entanto, podem comprometer a funcionalidade do forro, como também pode gerar frustrações de outras naturezas. Para evitar todos eles, é importante estar atento a esta etapa de modo que a instalação, que, de um modo geral, é um processo bem simples, não se transforme em dor de cabeça. Listamos a seguir alguns dos erros na instalação de gesso acartonado, de modo que você passe bem longe.

5 erros na instalação do forro de gesso acartonado

1 – Não permita que qualquer pessoa faça a instalação

Para garantir a qualidade de sua obra, recorra a uma empresa especializada e/ou a um profissional qualificado para fazer a instalação do seu forro. Não convém dar a tarefa a pessoas curiosas, que não conhecem o sistema construtivo suficientemente, isto é, que não estão plenamente aptas a executar esse trabalho.

Coloque a sua obra nas mãos de quem, verdadeiramente, entende do assunto. Embora o processo de instalação seja relativamente simples, não é adequado permitir que qualquer pessoa assuma o controle disso, sobretudo por uma questão de segurança.

DICA: Peça sempre o certificado do profissional que tenha feito um de curso de drywall.

2 – Não inicie a sua obra sem um projeto prévio

Uma das características que garantem a excelência das obras feitas com gesso acartonado, o forro, inclusive, é a precisão delas. Isto se deve ao fato de, antes mesmo de dar início à instalação, um projeto é elaborado previamente a fim de calcular e prever cada passo, descartando, deste modo, falhas e atrasos ao longo do processo. O projeto é de suma importância em uma instalação deste tipo de forro.

Otimize o tempo de execução e não perca tempo com problemas que podem ser evitados não fazendo por exemplo a compatibilização do projeto arquitetônico com o de iluminação, elétrica, telefonia e logica, detecção de incêndio e tudo mais que sua obra contempla.

O erro mais comum nas obras é depois que o forro foi fechado aparecer instalações que foram esquecidas ou o modelo da luminária não é compatível com o projeto de forro. Fique atento pois este item é muito importante.

3 – Não seguir os procedimentos corretos do tratamento de juntas

O sistema construtivo de gesso acartonado se destaca em relação aos demais por ter uma qualidade superior ao sistema tradicional de plaquinha de gesso, entretanto vemos várias obras sendo feitas com materiais errados ou sem a sequência correta. Veja então como deve ser feito para que você possa acompanhar:
  • Nunca use gesso em pó para tratamento de juntas – vai trincar com certeza!
  • A massa correta é a massa para tratamento de juntas de drywall, este produto hoje tem vários fabricantes e encontrado facilmente.
  • A fita de papel é a melhor solução, mas hoje em dia temos um modelo de fita telada que também pode ser usado – somente a fita azul.
  • As camadas de massa devem ser em 3 níveis, para isso são usadas 3 larguras de espátula – 20 / 25 / 30 cm de largura
  • Respeitar o tempo de secagem entre as camadas de massa. A última camada deve ser aplicada 12 horas após a segunda camada.

4 – Não estruturar corretamente as sancas

Outro erro muito comum diz respeito aos vários modelos de sancas que o sistema pode fazer. Sancas abertas ou fechadas de tamanhos grandes devem ter atenção especial.

Apesar de muito resistente as placas de gesso acartonado devem ter a estrutura de perfil galvanizado por trás para que o forro não ceda.

Verifique sempre com seu colocador para reforçar estes itens e não acontecer de ceder seu detalhe que é tão bonito. Uma dica legal é usar a cantoneira 1430 nas bordas das sancas de iluminação abertas, elas garantem que o alinhamento desta aresta fique perfeito!

5 – Não se preocupar com a pintura

Se você não quer ter problemas futuros com seu forro é imprescindível passar um selador sobre as placas antes de passar massa corrida!

Este procedimento evita que a placa absorva a agua existente na massa corrida e que demora a secar. Este efeito faz com que as placas cedam e o forro fique “embarrigado”.

Convém também finalizar o teto com tinta de boa qualidade, uma vez que eles funcionam também como impermeabilizantes.

Atenção: nas áreas úmidas, como banheiro, cozinha e área de serviço, por exemplo, o correto é usar as chapas verdes de drywall, que têm a resistência adequada e que não representam uma ameaça ao gesso do forro nesses espaços. Agora se o forro for em áreas externas, também sujeitas a sofrerem com a umidade, o ideal é recorrer às placas cimentícias, próprias para esses ambientes.

Em resumo, não cometa o erro de escolher as placas erradas na instalação de forro em ambientes úmidos. Se insistir nesse erro, o trabalho terá sido em vão. O dinheiro investido também. Conclusão: Fique atento aos “cinco nãos” apresentados acima para que a instalação do seu forro de gesso acartonado atenda às suas expectativas e ofereça o conforto e a comodidade que você tanto procura. Quer conhecer outros erros comuns? Saiba que existem cursos práticos e online de drywall para você se atualizar e reciclar com as mais recentes técnicas de drywall.

Conhecer Cursos de Drywall

Deixe uma resposta